O jardim de pedra

Os jardins são muito bonitos, mas é bom que se saiba, que dão muito trabalho. As ervas indesejadas, nascem todos os dias, a uma velocidade superior à que conseguimos atingir, a retira-las. Sem recorrer a medidas químicas, o jardim de pedra pode ser uma solução.

O desafio estava lançado, um corredor de terra, virado a norte, coberto de cascalho, a quem nunca se viu a cor da terra. este corredor divide-se em três partes.

O espaço

A primeira é a que se encontra mais exposta ao sol, e ao mesmo tempo, é a entrada da casa.

A segunda encontra-se debaixo da varanda. Embora tenha bastante luz, só apanha sol ao entardecer, no Verão. No Inverno simplesmente não tem sol directo. Tanbém tem menos água e geada no Inverno,

A terceira está semi-coberta, tem sol ao entardecer, consegue apanhar alguma chuva e está mais aberto que o espaço anterior.

A estes três espaços, segue-se um canteiro estreito, ao longo da casa.

As plantas

Comecei por procurar plantas com pouca floração, ou floração discreta, que não se transformem em grandes arbustos muito rapidamente, e muitas delas, rasteiras.

As mais sensíveis ficam na área mais protegida, abrigadas do sol forte e do excesso de água.

As gramíneas marcam presença de várias formas.

A Relva Chinesa, nome comum, é bicolor. As folhas novas são verde escuro e vão escurecendo até ficarem negras.

As coníforas também foram uma escolha. O seu crescimento, e o tamanho dos exemplares, são suficientemente reduzidos para as poder colocar em qualquer dos espaços.

As rasteiras são muito interessantes para este tipo de jardim, porque se consegue um efeito de cor, contrastando o revestimento do solo com a cor da planta.

Esta é de crescimento lento. Adquire tons de amarelo quando recebe sol directo, e mantem-se verde quando cresce à sombra.

Parece-me que esta será das que mais irá crescer a curto prazo. Por isso deixei-lhe espaço.

Outra das plantas que irá crescer é o Alecrim do Norte. Quando sopra uma brisa, mexe-se como as plantas aquáticas , ao sabor das correntes marítimas.

Temos ainda a dupla de Dodonaeas- nome interessante!

Quando nascem, as folhas são totalmente verdes, mas depois a parte interior passa a vermelho escuro, criando um efeito espectacular.

Mantiveram-se verdes todo o Verão, são ainda pequenos exemplares.

O revestimento

Utilizei três materiais: o cascalho, a casca de pinheiro e areia. A isto juntei algumas pedras de maior dimensão.

A construção

Comecei por decidir o local onde as plantas iriam ficar. Ao mesmo tempo, ía imaginando o melhor revestimento, em função da cor e forma da planta e do seu crescimento.

A terra não foi cavada nem adubada, pois isso não interessava. Era conveninente que os espaços a revestir, se mantivessem com um solo pobre , para não crescerem as tais indesejadas ervas. Foram abertos os buracos para cada planta,  adubada a terra nesse local e colocados os tutores, sempre que isso se justificava e, claro, a planta.

Só depois de ter algumas plantas é que começava a fazer o revestimento, desenhando com os materiais de que dispunha, sempre em improviso.

Mais tarde, tiveram que ser feitos alguns ajustes. Assim que apareceu a primeira chuva forte de Primavera, algumas partes do canteiro não tiveram capacidade de escoamento, e a água acabou por sair do canteiro, levando consigo a casca de pinheiro, que, sendo muito leve, fica a boiar sempre que há um pouco de água a mais.

Assim, nesses locais, substituí a casca de pinheiro por cascalho ou pedras  grandes, de forma a reter mais a água.

O resultado

O canteiro ao longo da casa, quase não foi mexido. Para o integrar no restante jardim de pedra, os espaços foram totalmente revestidos com cascalho. Com o tempo, as plantas rasteiras cobriram tudo, não deixando ver o revestimento. No Inverno haverá uma retração dessas plantas e a pedra ficará mais visível, criando outra imagem.

Ao longo do canteiro, encontram-se plantas de maior porte: o Azevinho, a Magnólia e, mais ao fundo e ainda em flor, a Jacobínia.

No Inverno voltamos cá, para ver como é.

Sobre lubaia

I'm an Agile player and a Gardener
Esta entrada foi publicada em Genérica com as etiquetas , . ligação permanente.

Uma resposta a O jardim de pedra

  1. Né Baldaia diz:

    Magnífico trabalho! Um dia destes peço uma consulta!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s