O Jardim (Parte III)

No final do verão, começaram as obras. Foram muitas, as alterações.

A primeira fase do trabalho foi, talvez, a mais difícil.

Cascalho e mais cascalho ...

A relva foi retirada, para nos permitir aplanar o terreno. Todo o cascalho foi removido, com excepção da rampa e da sua ligação ao jardim.

Ferramentas para varrer, arrastar e amontoar ...

O declive foi minimizado, criando patamares em três níves.

Três patamares conseguem reduzir o declive quase na totalidade

Com muita paciência e esforço, o cascalho foi arrastado e amontoado. A ideia era reutiliza-lo no jardim. Para que isso fosse possível, foi necessário muito trabalho, limpando e separando em montes, de acordo com o tamanho e limpeza.

Assim, usando o cascalho e cimento, foram construídos bancos. O primeiro, aparece ao longo do muro, serve para sentar, ou  simplesmente, ter vasos.

Os vasos

um dos recantos do jardim

Outros dois bancos, foram colocados do outro lado do jardim, entre as árvores. O comprimento permite que uma pessoa se deite.

Os bancos

Para a construção, foi feito um molde em madeira, que se encheu com camadas de cascalho e cimento, alternadamente. O acabamento será dado com placas de madeira envernizada, na face superior.

O molde em madeira

Uma das coisas mais comuns no terreno, são as pedras. Grandes, pequenas, compridas ou chatas, há para todos os gostos.

Algumas formaram um zona onde colocamos vasos, junto à laranjeira.

As pedras e os vasos

Outras foram reservadas para outra obra, de que falarei mais tarde.

Reservadas

Depois de preparado o terreno, foi necessário pensar na rega para a relva. Desenhar e planear as rotas e os aspersores necessários.

Observar, desenhar, pensar, ...

Na Primavera semeamos a relva, e o jardim ficou com outro aspecto.

A relva e o degrau feito com cascalho realçam os patamares

Sentada nos bancos aprecio o nosso jardim

O pessegueiro que existia no centro, foi transplantado para junto da laranjeira, dando mais abertura à zona do relvado.

O jardim cresceu

Retiramos a cerca que separava o jardim e a horta. A divisão é, agora, feita por uma linha de curvas, e um canteiro de flores. Também construímos um composteira, ao fundo, na horta. Utilizamos a mesma técnica de reaproveitamento do cascalho.

a Horta

Com o relvado pleno de força, o jardim ganhou nova vida

Mas muito mais foi feito, nesse ano. Falta ver o que aconteceu ao lado sul e poente.

A verdadeira revolução aconteceu aí …

Sobre lubaia

I'm an Agile player and a Gardener
Esta entrada foi publicada em Jardim com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s